UMA HISTÓRIA REAL SOBRE A BATALHA CONTRA A OBESIDADE E A DEPRESSÃO

A matéria de hoje é muito especial! Quem escreve é meu amigo Júlio, um senhor que conheci na academia e chamou minha atenção devido sua transformação dia pós dia. Por conta disso, tomei a liberdade e o convidei para contar sua história de superação. Exemplos de determinação como o dele devem ser compartilhados, assim podemos ajudar outras pessoas que se encontram na mesma situação. Com vocês nosso guerreiro: Julio Cesar Ribas Boeng.

"Era uma vez um rapaz que com 32 anos atingiu a fama e o sucesso como Procurador do Estado do Paraná em Brasília, professor de universidade e chefe de departamento, e com renomado escritório de advocacia. Boa saúde, 78k e 1m83cm. TUDO perfeito...

Com o passar do tempo, sem qualquer razão, passa a sentir profunda tristeza que afeta diretamente a vontade de trabalhar e fazer coisas diárias. Abandona o ‘sucesso’ conquistado com sacrifício e se aprisiona dentro de sua própria casa.

Numa época que não havia nenhuma compreensão sobre a depressão, todos o consideravam preguiçoso e vagabundo, obrigando-o a se internar cada vez mais em casa, sem contato com ninguém. Aquele ‘sucesso’ desaparece e ele se afunda na solidão e no isolamento. O excesso de fumo e bebidas alcóolicas lhe dão ganho de peso.

Os anos se passam na solidão, no desespero e abandonado por quase todos. Com enorme força de vontade resolve começar tudo de novo; para de fumar, volta à advocacia e a dar aulas na universidade. Tanta dedicação sem exercícios físicos rende outros quilos.

Mas um revés na função pública desencadeia novamente o processo depressivo, agora agravado com sentimentos de pavor de tudo e de todos, angústia, desespero do dia seguinte, ansiedade, insônia e da vontade de morrer...e esse desejo só não foi concretizado porque tinha consciência de que seus filhos teriam vergonha de um pai suicida...

Já sem condições de continuar dando aulas e com 40 anos, ao pedir desligamento da faculdade descobre no exame demissional que é uma bomba relógio com explosão próxima para a morte, pois a pressão arterial é de 20/12 e passa a ser portador de obesidade mórbida.

Aos 47 anos, pesando 168kg e se reconhecendo como portador de depressão, tenta sem sucesso o apoio de psicólogos e psiquiatras.

Resolve rever os hábitos implementando sacrificadamente o exercício físico através de personal trainer. Seu peso excessivo traz dificuldades quase intransponíveis. Altera a alimentação e como autodidata cozinheiro estuda e prepara cardápios semanais. A força de vontade para os exercícios físicos, a reeducação alimentar e a redução do álcool rendem a eliminação de aproximadamente 25k em três anos.

Intensificando a jornada dos exercícios físicos, agora diariamente e o aperfeiçoamento dos estudos e habilidades culinárias para emagrecimento, somado a um controle ainda maior de bebidas alcoólicas, consegue perder 53k em 5 anos. Mas a batalha pelo emagrecimento não admite vacilo...por descuido acaba pulando dos 115k para 125k.

Novamente, já em Itajaí-Santa Catarina, através de personal trainer de altíssimo nível, trabalha a parte física todos os dias da semana – alternando musculação e aeróbico -, e através de especialistas da área de nutrição esportiva introduz o jejum intermitente, complexos vitamínicos e uma orientação alimentar para atingir a cetose – limitar a disponibilidade de glicose através da redução do carboidrato -. Mas diante do fato de que a programação alimentar disponibilizada para esse fim é absolutamente precária, novamente coloca em prática sua disposição aos estudos e ao conhecimento, para criar pratos através de alimentos low carb que possibilitem entrar em cetose. Chega aos 107k.

E foi assim...essa história tinha que vir ao conhecimento de todos, porque uma pessoa que perde 61k em nove anos sem qualquer “auxílio estranho” ou cirúrgico, chega-se a conclusão de que qualquer um tem condições de transpor as dificuldades.

Realmente não é nada fácil como afirma nosso protagonista corajoso de se expor para incentivar outras pessoas, que fez questão de deixar registrado algumas opiniões pessoais:

 

- se você é jovem, trabalhe de forma mais racional; a vida não terminará amanhã e não espere que alguém reconheça o seu valor...isto irá lhe frustrar e acenderá a desilusão (componente da depressão). Faça atividade física regularmente (libera substâncias de satisfação e eleva sua qualidade de vida). Procure uma alimentação saudável, sem fast food; beba com moderação e de forma alguma fume ou utilize outras substâncias ilegais...estes escapes lhe conduzirão a depressão. Saiba sobre a morte de seus pais ou avós. Informe-se se algum deles faleceu por estar cansado de viver e tenha cuidados redobrados...a causa mortis foi a depressão e ela é hereditária.

 

- se você é mais velho desacelere sem nunca parar...faça alguma coisa prazerosa e não se interne dentro de casa. Tenha uma atividade física diária e se alimente saudavelmente. Àqueles acima do peso, entenda um pouco das suas condições para assumir uma dieta low carb. Não espere ou conte com atenção de ninguém...a humanidade não tem tempo para seu semelhante...aprenda a conviver feliz consigo e os prazeres que o mundo proporciona.

 

- não esqueçam que a depressão e a obesidade não admitem desleixo ou deboche e você deve sempre estar alerta. As dores nos pés, joelhos, coluna, etc. são constantes, infindáveis e ininterruptas...mas você não pode desanimar e muito menos desistir. Haverá uma recompensa maior...o prazer de viver!

 

- para depressão, a cada manhã que se levanta esteja antenado para seu estado de ânimo...qualquer vulnerabilidade, como uma ansiedade mais aguda – o depressivo é ansioso por excelência -; um simples receio – o depressivo tem muito medo do incerto -; uma tristeza mais doída – o depressivo é melancólico por natureza -, faça uma atividade física imediatamente (aliás, esta é uma obrigação inadiável ao depressivo) ou realize algo que gosta ou alguma coisa diversa do tradicional...não fique em casa...

 

- para obesidade não relaxe...não pense que o abuso de hoje não afetará o amanhã...tenha essa consciência, pois vai lhe ajudar a entender que após vacilar, e isto é natural que aconteça, será mais fácil retomar imediatamente o seu plano de emagrecimento e não cair no desânimo...

 

- e lute um dia após o outro...sem pressa...você vai conseguir!"

Julio Cesar Ribas Boeng

 

 

Please reload